Conheça a história da Praça da Liberdade e algumas curiosidades

A primeira edição de 2018 do Festival Meu Vizinho Pardini vai acontecer em um local muito especial para os belo horizontinos: a Praça da Liberdade. No dia 05 de maio, das 10h às 19h, vamos promover atividades musicais, teatrais, circenses, gastronômicas, de saúde, bem-estar e entretenimento para todas as idades, com entrada franca.

Palco de inúmeros acontecimentos históricos e patrimônio cultural de Belo Horizonte, a Praça da Liberdade começou a sua história no início do século XX, com sua construção no ano de 1903. Projetada por Aarão Reis, que estava à frente do planejamento da nova capital de Minas Gerais, a Praça da Liberdade teve sua construção inicial inspirada no paisagismo inglês naturalista, que mais à frente, em 1920, adotou o estilo francês, com referência nos jardins de Versailles. Nesse momento, Belo Horizonte recebia a visita do Rei Alberto I e Rainha Elisabeth, da Bélgica.

Praça da Liberdade

Foto: ABIH MG

A Praça da Liberdade vem sendo cenário para diversas atividades e manifestações políticas e culturais ao longo dos anos. Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, quando navios brasileiros sofreram ataque de navios alemães, manifestantes se reuniram na Praça para protestar contra a Alemanha, Itália e Japão, que formavam os países do Eixo. Em 1951, a Alameda das Palmeiras foi cenário para a posse do então governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitschek. A Praça da Liberdade também marcou o comovente funeral do presidente eleito em 1985, Tancredo Neves, foi a sede inicial da Feira de Artesanato, mais conhecida como a Feira Hippie, que, na década de 90, foi transferida para a Avenida Afonso Pena.

Arquitetura

Praça da Liberdade

Praça da Liberdade – site Circuito Liberdade

Um dos principais cartões postais de Belo Horizonte, a Praça da Liberdade abriga estilos arquitetônicos variados. Tem construções em estilo eclético da época de sua inauguração, como os prédios das antigas secretarias de Fazenda, Educação e Obras e Vias Públicas, outras modernas, como o Edifício Niemeyer e a Biblioteca Pública, projetados pelo modernista Oscar Niemeyer. E a contemporânea Rainha da Sucata, da década de 1980, do arquiteto Éolo Maia.

Além dos prédios que formam o entorno da Praça da Liberdade, outros componentes contribuem para que todo o conjunto arquitetônico seja deslumbrante e encantador. São eles: coreto, as fontes do Cruzeiro, da Ninfa e dos Desejos, as exuberantes palmeiras imperiais e as esculturas em mármore carrara.

Circuito Liberdade

Com a transferência da sede oficial do governo de Minas para a Cidade Administrativa, em 2010, os prédios do entorno da Praça da Liberdade começaram a se tornar importantes espaços culturais. Além de já ser um ponto turístico obrigatório para turistas do mundo todo, essa nova iniciativa tornou a Praça da Liberdade referência histórica e cultural de Minas Gerais. A região da Praça já abrigava o Arquivo Público Mineiro, a Biblioteca Pública, o Museu Mineiro e o Rainha da Sucata. Parcerias entre instituições públicas e privadas foram criadas para a formação do Circuito Liberdade, que reúne hoje 15 instituições. Oito delas têm gestão do Governo de Minas e as demais são resultado de parcerias público-privadas ou com instituições públicas federais.

Curiosidades

Com a transferência da capital de Minas Gerais para Belo Horizonte, a localização do Palácio da Liberdade foi planejada para ficar em local mais alto do que a igreja da Boa Viagem. Ao contrário do planejamento urbano da antiga capital do estado, Ouro Preto, onde as igrejas estão posicionadas sempre no alto, representando o imperialismo.

Praça da Liberdade

Praça da Liberdade – site Wikipedia

Outro fato interessante é que, na Praça da Liberdade, ainda funciona o primeiro semáforo da capital, instalado em 1929.

Dia 05 de maio vai acontecer o festival Meu Vizinho Pardini. Clique aqui para conferir a programação completa!